Festival Internacional de Tunas da Cidade de Tomar
Obrigado a todos por ajudarem a realizar novamente este sonho
Programa do festival
16 Abril 15h00, Centro Histórico e Praça da República: Pasacalles e Serenatas 21h00, Cineteatro Paraíso: Festival Internacional de Tunas de Tomar 15 Abril 22h00, Praça da República: Arraial Popular
Tunas a Concurso

EACB - Estudantina Académica de Castelo Branco

Fundada a 24 de Maio de 2006, a Estudantina Académica de Castelo Branco é fruto do sonho de alguns estudantes albicastrenses, que um dia pensaram ser tempo de dar e fazer mais e melhor pela sua Academia, decidindo trazer de volta à Instituição em que estavam inscritos, o prazer de ver o seu nome elevado e honrado além-fronteiras por um grupo musical, que pudesse mostrar o que de melhor existe na vida académica Albicastrense.

 

Foi vontade de todos os seus fundadores reunir no seio do grupo, elementos que partilhassem um espírito de alegria, companheirismo e dinamismo, para assim poderem projectar a comunidade estudantil local, pugnando por uma união de mentalidades e de espírito académico.

 

Constituída por cerca de 50 elementos, tem como principal objectivo defender a Tradição Académica, representar, dignificar e honrar condignamente a sua Cidade e a sua Academia, sempre com a maior das qualidades, tendo como objectivo funcionar como uma entidade de carácter cultural, lúdico e formador tanto no aspecto musical como na componente humana dos indivíduos que a constituem.

 

Demonstrar responsabilidade nunca esquecendo o iluminado espírito de boémia, pode não ser o lema mas é sem dúvida a origem da força da Estudantina Académica de Castelo Branco, que tem como objectivo deixar recordações inesquecíveis, a todos aqueles, muito especialmente às Donzelas, que tenham a oportunidade de connosco privar.

 

A 17 de Novembro de 2007 a Estudantina apresentou o seu traje, adaptado do traje de maioral usado na região no início do século XX, preservando assim as tradições e a memória da nossa Cidade.

 

A Estudantina Académica de Castelo Branco teve a honra de ser apadrinhada pela Mui Nobre Estudantina Académica da Madeira, no dia 1 de Março de 2007, cumprindo assim com um dos mais tradicionais preceitos Tunantes.

 

Teve também a honra de estabelecer uma Irmandade com a TUSALD – Tuna Académica da Escola Superior de Saúde Dr. Lopes Dias, no dia 17 de Novembro de 2007.

 

A 13 de Novembro de 2010 apadrinhou a Tuna da Universidade Sénior de Castelo Branco.

 

A 12 de Dezembro de 2008, eleva-se ao estatuto de Associação Cultural, com o objectivo de dinamizar a actividade e cultura académica na sua região.

 

Teve o orgulho de organizar o 6º Encontro Nacional de Tunos nos dias 16, 17 e 18 de Outubro de 2009.

 

Organiza anualmente, em Novembro, o FITUCB – Festival Internacional de Tunas Universitárias da Cidade de Castelo Branco.

Azeituna - Tuna de Ciências da Universidade do Minho

Numa altura em que não existiam os gadgets que vieram substituir a rede neural e a salutar convivência, um grupo de amigos da Universidade do Minho, com o seu espírito bem-disposto e interventivo, sentiram vontade de formar um grupo dedicado à música. Boémios e também românticos, fizeram das ruas de Braga o seu palco até à estreia oficial, nas monumentais festas do Enterro da Gata. Ocorria o ano de 1992 e legitimava-se assim a Azeituna no vasto tecido cósmico.

 

Ao longo destes anos a Azeituna já percorreu inúmeros palcos um pouco por todo o País, partilhando com as pessoas a sua alegria e irreverência. Mas nem só por casa se faz a “estória” e, munida de espírito aventureiro, a Azeituna já levou a música e tradições portuguesas a mais de vinte países, com várias digressões pela Europa Central, Reino Unido, Europa de Leste, Estados Unidos, Canadá e Brasil, país onde cultivou uma ligação muito especial e que já visitou cinco vezes.

 

Na sua discografia conta já com 6 álbuns e 3 DVD's onde empresta os seus arranjos e o seu estilo a temas de raíz tradicional, música pop e rock, bem como alguns originais. No seu rol de actividades, aquela que assume maior destaque é sem dúvida o CELTA – Certame Lusitano de Tunas Académicas.

 

Organizado anualmente desde 1993, no mês de dezembro, o CELTA, assumiu-se como um dos mais importantes festivais de tunas, proporcionando ao público presente noites temáticas de espectáculo musical, festa e espírito académico. O XXII CELTA realiza-se nos próximos dias 11 e 12 de Dezembro, no Theatro Circo, sob a temática “Anos 80”.

 

“Obrigado por fazerem da nossa libertação uma festa!”

T.M.B - Tuna de Medicina de Badajoz

La Tuna de Medicina de Badajoz se fundó en 1974, tan solo unos meses después del nacimiento de la Universidad de Extremadura. Se trata de la Tuna Universitaria más veterana de nuestra región y actualmente, una de las pocas que continúan activas en Extremadura. Hacer mención a la integridad de nuestro currículum nos llevaría mucho tiempo, así que vamos a destacar algunos de los aspectos más importantes del mismo.

 

- Desde el inicio de su historia, la Tuna de Medicina de Badajoz ha participado en numerosísimos Certámenes de Tunas nacionales e internacionales. Entre las ciudades que nos han acogido se encuentran León, Barcelona, Granada, Santander, Vitoria, Salamanca, Málaga y otras muchas de la geografía española, así como Lisboa, Oporto o Évora de nuestra vecina Portugal. Pendiente nos queda la asistencia al prestigioso Certamen Internacional de Tunas de Eindhoven, Holanda. En muchos de estos certámenes ha sido premiada nuestra actuación dentro y fuera del escenario. Valgan de ejemplo el premio a la Mejor Ronda y Tercera Mejor Tuna obtenidos en Málaga el pasado 2006.

 

- Otro de los eventos en los que participa la Tuna de Medicina de Badajoz son los Festivales de Folklore. Nuestra primera invitación nos llegó desde Billingham (Inglaterra) en 1985 y desde entonces, ciudades como Martigues y Romans (Francia), Varsovia (Polonia) o Milton Keynes (Inglaterra) han sido nuestras anfitrionas, muchas de ellas repitiendo invitación en varias ediciones consecutivas.

 

- Ganadores en el Certamen Nacional de Medicina 2008 celebrado en Sevilla de los Premios: Mejor Ronda, 2ª Mejor actuación Musical, Mejor Baile de Bandera, Mejor Baile de Capa, y Premio a la Tuna Más Tuna.

 

- Ganadores en el Certamen Nacional de Medicina 2009, celebrado en Córdoba: Premio a la Mejor Ronda, Premio al Mejor Solista y Premio al Mejor Baile de Bandera y Capa.

 

- Ganadores en el Certamen Nacional de Medicina 2010 celebrado en Pamplona de los Premios: Mejor Ronda y Mejor Baile de Capa.

 

- Ganadores en el Certamen Nacional de Medicina de Granada 2012: mejor ronda, pasacalles, mejor baile de capa y bandera y segunda mejor Tuna del Certamen.

 

- Pero si hay algo de lo que sin duda se vanaglorian los Tunos de Medicina de Badajoz es de haber llevado el espíritu de su ciudad y su universidad, su música y su tradición, alrededor del mundo, en viajes organizados por ellos mismos y sufragados en su totalidad con actuaciones en los lugares de destino. Han sido muchas las casas de España en tal o cual país que nos han abierto sus puertas, cientos los españoles emigrados que nos han brindado su hospitalidad, algunas (pocas) las embajadas que nos han invitado a animar un evento de difusión de la cultura hispánica y muchos, muchísimos, los empresarios que nos han contratado para actuar en sus restaurantes, academias de español o en su stand de productos ibéricos de alguna feria internacional.

 

De todos ellos guardamos un gran recuerdo. Es imposible hacer mención de todos, pero no podemos pasar por alto las actuaciones en la Ocktober Fest de Munich, en la embajada de España en Australia, en la casa de Galicia en Nueva York o en la feria comercial Prodexpo, celebrada en Moscú En 2006, además de viajes por Europa en 2009, 2010 y 2012.

 

Actualmente, la Tuna de Medicina de Badajoz goza de una “excelente salud”. Este último año se han incorporado a la misma 8 nuevos estudiantes, que han aportado grandes dosis de ilusión y renovación a una institución que no necesita mucho más para continuar las andanzas y actividades propias del bien llamado por muchos “Mester de Tunería”. Junto a estas nuevas incorporaciones se encuentra, en el otro lado de la balanza, la veteranía de muchos de sus miembros activos, lo que hace que al día de hoy, nuestra institución cuente, por un lado, con una basta experiencia sobre la que asienta sus sólidas bases y por otro lado, con una renovada vitalidad que da impulso a cada proyecto que decide llevar a cabo.

Tuna TS - Tuna Tecnologia da Saúde do Porto

Fundada a 11 de Novembro de 1995, por um pequeno grupo de estudantes, amantes da música e da vida Académica, a Tuna TS percorreu já milhares de quilómetros a espalhar o seu nome e o da instituição à qual pertence. Uma pequena amostra, apenas, daquilo que a Tuna representa. O que ela significa tanto para os seus elementos como para aqueles que são brindados com a sua luz, cor, alegria e música. Muita música. Mas o fenómeno ultrapassa tudo isso. Converte-se em algo mais. Mais do que guitarras e bandolins, trajes negros e estandartes, a Tuna assume uma forma só. A Tuna respira, a Tuna pensa, a Tuna vive. A Tuna é uma pessoa!

 

Esta Tuna. A nossa Tuna. A vossa Tuna. A Tuna TS!

 

 

“O que é isto?” Um dedo indicador apontava o céu estrelado. Barças (como era conhecido, carinhosamente, pelos amigos) erguia o braço, estranhamente firme, num momento de rara beleza. À sua volta, os seus companheiros formavam um círculo tal como ele exigira. Um círculo negro de capas esvoaçantes. “O que é isto?” repetiu Barças, vociferando com uma tal vontade que o fez cambalear. “Um dedo?... Um braço?...” ouviu-se entre risos. “Não!” gritou Barças, deixando o braço tombar. “Isto...” continuou “Isto é um círculo!”. Era, de facto, um círculo. Um círculo cada vez mais coeso que impedia a passagem do vento que se fazia sentir cada vez mais frio. Apertando-se uns contra os outros, continuaram a escutá-lo. “E sabem no que é que isto se torna se faltar algum de nós?” bradou erguendo, novamente, o braço. Alguém ainda atirou, para gáudio geral “Um círculo mais pequeno?...”, mas Barças já não escutou de tal forma que estava embalado. “Isto deixa de ser um círculo...”. Algumas sobrancelhas começavam a franzir em seu redor, mas, no entanto, a atenção era cada vez maior.

 

Ninguém reparou que começavam a formar-se algumas nuvens escuras. “Se faltar alguma pessoa...” retomou “Isto deixa de ser o que é... porque uma pessoa faz parte da Tuna e a Tuna sem uma pessoa não pode ser um círculo ou uma pessoa...”. Todos continuaram a ouvir o que, aparentemente, seria um discurso sem sentido. Apertaram-se mais um pouco, instintivamente, não para se protegerem das primeiras gotas que começavam a cair, mas para escutar melhor. “... e uma pessoa sem a Tuna não pode ser uma pessoa, porque... porque...” deteve-se durante um segundo apenas, mas foi o tempo suficiente para que todas as caras à sua volta se iluminassem, todos os braços se encontrassem, todos os batimentos cardíacos se sincronizassem e nesse momento, ao mesmo tempo que as caras molhadas reflectiam a luz do primeiro relâmpago, atirou: “A Tuna é uma pessoa e a pessoa é a Tuna!”. O céu, instantaneamente, fez desabar sobre eles uma torrente de água cristalina que estremeceu o chão. Eles nem sentiram. As suas mãos uniram-se no centro do círculo negro e, em uníssono, repetiram gritando “A Tuna é uma pessoa e a pessoa é a Tuna!”. O ano de 2001 ainda ia no início, mas o mote estava lançado para mais uma grandiosa jornada!

 

Históricos momentos foram vividos ao longo dos anos. No início de 2001, um círculo negro de capas esvoaçantes bradava “A Tuna é uma pessoa e a pessoa é a Tuna!”. A água da chuva escorria pelas faces e misturava-se com sorrisos e abraços fraternos. Galvanizados pelo momento, viriam a proporcionar, a todos que os escutaram essa noite, uma actuação memorável. Foram incontáveis os momentos semelhantes que antecederam este evento. E ainda mais numerosos seriam os que o precediam. Uma pequena amostra, apenas, daquilo que a Tuna representa. O que ela significa tanto para os seus elementos como para aqueles que são brindados com a sua luz, cor, alegria e música. Muita música. Mas o fenómeno ultrapassa tudo isso. Converte-se em algo mais. Mais do que guitarras e bandolins, trajes negros e estandartes, a Tuna assume uma forma só. A Tuna respira, a Tuna pensa, a Tuna vive. A Tuna é uma pessoa!

 

Esta Tuna. A nossa Tuna. A vossa Tuna. A Tuna TS!

Venda de Bilhetes

Os bilhetes para o "XV Templário - Festival Internacional de Tunas da Cidade de Tomar'' vão estar à venda no café Paraíso, cine-teatro Paraíso e IPT de acordo com o seguinte horário:

 

Cine-teatro Paraíso:

das 15h às 19h até até ao dia do festival, excepto 2a-feira. No dia do festival haverá venda de bilhetes até à hora de início do espectáculo.

 

Café Paraíso:

das 11h às 19h até ao dia antes do espectáculo, dia 15 de Abril.

 

I.P.T.:

das 10h às 19h nos dias 11, 12 e 13 (Segunda, Terça e Quarta)

 

 

Preçário

 

 

 

 

 

Plateia       1oBalcão       2oBalcão       Camarotes

Estudante e maior de 65 anos         8€              7€                5€                  5€

Não Estudante                  10€             8€                6€                  6€